A triste realidade dos Relacionamentos vs Smartphones. Quem sai ganhando nessa?

By 8 de dezembro de 2017Karoll Chamone

Hoje em dia há uma competição injusta que está sendo disseminada rapidamente nas relações afetivas, o mal do século se entitula “smartphones” com o slogan “seja mais interessante que meu smartphone, aí sim você ganha minha atenção!”

Quem nunca passou por esta situação desagradável numa relação amorosa por um possível aborrecimento com algo “aparentemente inocente” que é o usar o smartphone na presença do namorado ou da namorada, da esposa, do marido, ou da família?
Este vício não percebido pode minar a qualidade de um relacionamento, criando um efeito dominó capaz de reduzir a satisfação de um casal até mesmo na cama! E sim, isto é sério!

Foram feitas pesquisas sobre esta relação nos EUA na Universidade de Baylor para ser mais exata pelo professor Roberts, onde insistiram em saber o que realmente acontecia entre os casais que passavam por isto rotineiramente e se afetava tanto os relacionamentos amorosos quanto às pessoas pensavam que sim, pois o preenchimento de todo o tempo com inserção do smartphones, não estava dando mais margem a intimidades entre os casais

Constataram que existe um termo mais conhecido como “phubbing” que é o fato de usar o telefone e ignorar o seu par sem dar relevância a ele em qualquer situação, seja num jantar a dois, ou num momento de convivência e rotina, que foi descoberto e criticado pois afetava grandemente a convivência do casal e acarretava a eles cada vez mais a falta de limite entre a tecnologia e o casal se estabelecendo riscos graves.

Além disso, para participantes responderam a um questionário onde mediram o grau de conflito gerado pelo uso de smartphones na relação e admitiram que o phubbing afeta de alguma forma negativa q interação com seu parceiro. Segundo a pesquisa, os celulares estão perto de fatores tradicionais de estresse de um casal, tanto quanto como o dinheiro e falta de sexo.

Houve um questionamento então para saber se haveria alguma solução para este problema. Para o especialista, esta pergunta não seria respondida com facilidade e ficou no ar, mas ele destacou que é importante jogar luz sobre o perigo silencioso que o uso de smartphones podem representar às relações, sendo o diálogo a melhor maneira e essencial para desmascarar e reconhecer o erro enquanto ainda havia tempo.

Alertou ele: “Mesmo ao tentarmos agir como se não fosse nada, ainda fere quando sofremos diretamente o phubbing por nossos parceiros românticos. De alguma forma, sentimos que eles estão escolhendo o smartphone em vez da gente”, declarou Roberts.

Há uma necessidade recorrente de alertar as pessoas enquanto há tempo, para que essas mesmas se posicionem e não percam sua vida social, pela virtual.
Já se imaginou perdendo o que é prioridade em sua vida, deixando em segundo plano as pessoas de sua convivência, seu casamento, as emoções e os momentos, por não perceber que eles estão ali para serem vividos, sentidos? Você está fazendo esta troca consciente pra simplesmente se enraizar em um mundo ilusório e virtual? E isto vale a pena pra você?

Muito cuidado com o que você anda cultivando em suas relações, principalmente dentro de um relacionamento a dois, onde há parâmetros de qualidade e de assistência que um promove ao outro para que esta relação se torne estável e duradoura.
Sem contar que afeta diretamente o diálogo, o sexo e a satisfação de intimidade com a pessoa que você diz amar.
Bem, então agora você precisa refletir, você quer se perder dentro disso tudo e permitir que a tecnologia saia ganhando, o seu smartphone ou até mesmo um jogo virtual?

Dê atenção ao que realmente faz sentido pra você, não precisa se alienar, mas dê seu tempo e atenção ao que fará daqui um tempo sentido real pra sua vida, não deixe o mal do século te consumir fazendo com que você perca o sentido do mundo e realidade e se despeça deste mundo de vez. Ninguém ficará ao seu lado por escolhas suas ao mostrar prioridade somente a mundo virtual que te aprisiona.

Espero que eu tenha te ajudado a refletir e fugir deste mal tomando a frente de suas ações e atitudes para ter o controle e não deixar que suas ações o controlem, mas fazer você controlar as suas ações perante este aprisionamento virtual, pois ele pode acabar com o que realmente é importante para você.

Pense nisso!

Beijo da Karoll Chamone

Leave a Reply