Por que continuar em uma relação que já terminou?

By 30 de junho de 2017Karoll Chamone
Porque continuar em uma relação que já acabou?

Existe um momento em que já sabemos que uma relação está acabada, mas nada fazemos não é mesmo? Isto é desgastante, triste e muitas vezes você se afunda mais no mar de desilusão porque se vê incapaz de sair dali. Já aconteceu isto com você?

Você já se viu presa a uma relação que mesmo sabendo que não existia mais razão para continuar, não existindo mais motivos para se doar e amar, você acabou alongando o relacionamento além do necessário e se manteve num espaço que não lhe cabia só pelo fato de ter medo perder, você por acaso se identificou com isso?

Bem, vou ser clara: Devemos acabar uma relação quando já sabemos que ali não há mais nada. Você acredita no que estou dizendo? Não? Vou te provar.

O término dói, porém você precisa colocar um ponto final quando sente que não existe mais amor, mais razão para lutar, até mesmo para honrar o que um dia foi tão belo e tão bonito entre vocês.
Alongar uma relação sem necessidade é sofrimento demais, é maltratar suas faculdades emocionais, é deixar ainda mais distante a lembrança boa do que viveram um dia, para se prenderem a dias turbulentos, mágoas e dor.

Então eu te pergunto: Por que continuar numa relação que já terminou?
Agora sim a questão é: Por que alongar uma relação acabada? Realmente merecemos manter algo por comodismo, pena, ou dó?

Sei que os laços e motivos que unem as pessoas umas as outras são realmente fortes, e por isso muitas de nós nos sentimos incapazes de seguir em frente, mas o que adianta adiar a dor sendo que jamais conseguiremos impedi-la? Do que adianta se anular, apostar sozinha em um sonho, ou na esperança de que tudo irá mudar pra melhor, ainda mais sabendo que o amor há muito tempo já se foi? Se não existe mais amor, deixe ir o que te prende.

 

Vamos parar para ponderar algumas questões. Para o ser humano, a necessidade de sentir-se amado e por fim protegido é uma das coisas mais importantes na vida. Desta forma, não acreditamos que devemos mudar nada em nossas vidas que nos faça sair da nossa zona de conforto, da nossa paz, certo? E se sempre houve alguém nos esperando em casa, achamos que no presente, e no agora, também deverá sempre haver. Mas isso é um grave erro de pensamento, fique atenta!
Sabemos de fato que homens e mulheres tem muito medo da solidão. Isso acontece porque todos nós, sem distinção de sexo, credo e cor, crescemos em uma sociedade que nos ensinaram a viver dessa maneira. Ou seja, precisamos de alguém que nos espere em nosso aconchego, e desde muito pequenos somos ensinados que quando adultos devemos ter uma relação afetiva para completar nosso estágio de vida, uma coisa natural que irá acontecer para todo ser humano.
Para a mulher é ainda mais firme esta razão pela sociedade machista em que vivemos, observe nossas avós, estas eram preparadas para se casarem e cuidarem de um lar. Fomos criadas para nos apegar a uma relação patriarcal e sobretudo conquistar um relacionamento para formarmos uma família, com os objetivos alcançados e cumpridos perante a mesma sociedade ainda machista.

A cada dia, no entanto, observamos com mais veemência que isso só, não nos satisfaz. Necessitamos de ser nós mesmas, alcançar nossos sonhos, objetivar algo mais na vida que faça o nosso coração vibrar e quando não nos encontramos preparadas para chegar a esses objetivos, isso causa ainda mais frustração, pois nos sentimos incapazes de sermos realmente felizes com nós mesmas e com o que queremos.
Ao passar esse tipo de situação, eis onde mora o perigo, uma fase de altíssimo risco, muitas de nós mulheres acabam se refugiando nas rotinas das relações vazias, nas quais falta amor em todos os pequenos detalhes, falta vida, emoção, mas nos contentamos pois são elas que nos oferecem tranquilidade e descanso, ainda que tudo isso nos distancie do real objetivo que sonhamos e objetivamos em nossas vidas. É nesta fase que precisamos nos atentar! Todo cuidado é pouco! Saiba o porquê.

 

O medo de perder

Na vida, nos ensinaram a ter medo. Todos nós, mulheres e homens, nós não fomos preparados para saber perder. E este é o maior medo do ser humano, o medo de perder a pessoa amada, ainda que não exista sequer amor na relação, ainda que não exista mais nada, lidar com a perda é assustador.
Então pensamos assim, precisamos aprender a lidar com isto de maneira proveitosa! Aí nos deparamos com a seguinte situação, pode ser que ao avaliar o relacionamento a dois o carinho exista, se houver, também restará algum respeito, compreensão e amizade ou coleguismo. Mas encare de frente a ilusão querida… Carinho, coleguismo, ou consideração não é amor, e sabemos disso.
Junto ao terror de imaginar a perda, há a inquietação da nossa própria mente, da alma e do coração, eis aí a questão que nos impede de tomar a verdadeira decisão que colocará o fim na relação fracassada.
Talvez a insegurança que há em qualquer ser humano, apareça em nosso coração nesta hora, e desde bem pequenos essa insegurança vem nos impedindo de tomar duras decisões que precisam ser tomadas na vida, e ao nos tornarmos adultos isso também nos impede de seguir, porque mesmo sabendo que o amor já se foi, não somos capaz de aceitar e até dizer em voz alta, ou mesmo de admitir para nós mesmas, que existe um fim. Isto pode ser superado.

Talvez o terror de imaginar a solidão e não ter ninguém ao chegar em casa a impeça de tomar essa decisão que sabe que seria a correta. E isso pode até ocorrer com você, e se você mesma ainda não a encontrou no meio disso tudo, provavelmente não encontrará também o seu valor, sua motivação para caminhar com seus próprios esforços e dar passos na direção que você pensa ser mais adequada para você.
O medo te impede de ser realmente feliz com você mesma, se você parar pra pensar qual será o pensamento de sua família, o que pensarão seus vizinhos e amigos, ou como você vai fazer isso tendo filhos?sabemos que você ter inúmeras desculpas e não enfrentará os fantasmas do medo. Mas o pior do que ter medo, é pensar que ainda que você viva uma vida infeliz, insatisfeita, onde você se vê até mesmo perdendo sua dignidade por uma relação que perdeu a paixão e o sentido já há tantos anos, é não enxergar que a cada dia ela te mata um pouco mais por dentro, e mesmo assim você fica inerte, decidindo não fazer nada.

Quando nosso coração está machucado, não é fácil olhar para ele, mas é necessário e entenda isso. Uma relação acabada, em que não existe amor, é uma das maldições mais terríveis que podem recair sobre a nossa alma. Então saia desse círculo vicioso de inércia e lute pela sua felicidade.
Eu desejo a você que realmente seja valente, corajosa e sincera com seus pensamentos para fazer o que deve ser feito. E atente-se! Não esqueça que a sua felicidade depende de você mesma! Faça alguma coisa por você, se você mesma não faz, como irá esperar que alguém possa fazer também?

Que este texto preparado com todo carinho, venha te ajudar a se encontrar, lá no fundo, profundamente sabe, lá em meio a turbilhões de sentimentos que há em você, há também uma mulher que pode ser invencível em suas próprias convicções e feliz em suas decisões! E se o seu íntimo te mostra algo errado minha linda, se ele está chamando sua atenção a algo, avalie.

Antes tarde do que nunca acredite em você, em sua intuição e siga em frente. Você consegue!

Beijos da Karoll Chamone

Leave a Reply