3 motivos pelos quais um relacionamento não dá certo!

By 16 de junho de 2017Karoll Chamone

Como detectar as milhares decepções e frustrações advindas do ser humano? Porque muitas vezes um relacionamento não dá certo?

Sobretudo, quando iniciamos uma paquera, um affair, ou nos moldes hoje em dia, quando encontramos um “crush” a primeira hipótese que nos atrai ao outro são as características físicas e depois as afinidades. São essas afinidades que nos fazem ter interesse e que realmente são importantes quando o assunto é conquista, porém a resposta a esta questão é bastante complexa, pois depende de vários fatores, acompanhe comigo!

O desafio é encarar a realidade e perceber que o repertório emocional de ambos, ou seja, do casal, influência totalmente o modo de como se expressam, ouvem, sentem e reagem.
Cada pessoa interpreta as situações que vivencia de acordo com suas experiências pessoais e interpessoais, não é mesmo? Cada pessoa reage conforme suas crenças, suas feridas emocionais, suas expetativas, suas memórias traumáticas, e até mesmo usam seus variados cenários imaginários não é? Sim, aqui neste ponto está compreensão é muito importante.

Por exemplo, quando um dos parceiros pretende ajudar o outro a solucionar um problema, ele age em conformidade com a sua própria intenção, certo? Ok. Agora se esta intenção não é positiva pelo juízo de valor vindo do outro cônjuge, (este que o julgou) pode interpretar a sua ação como um ataque às suas capacidades pessoais, ou mesmo se vitimizar por se sentir magoado, traído, incompreendido e muitas vezes desvalorizado.

Bem, aqui nós podemos constatar que um equívoco de comunicação, ou seja, a comunicação fica comprometida e esta fase é altamente destrutiva para o casal, consequentemente à resolução do problema, afetando o bem estar da dinâmica e harmonia da relação a dois.

Agora vendo por outro aspecto, se esta mesma ação descrita acima for realmente positiva e benéfica ao relacionamento, o cônjuge que estiver agindo e tentando solucionar o problema, precisa saber ser brando e passar a sua intenção e atitude de maneira mais fácil possível para o entendimento do outro a medida que já se conhecem e sabem a forma do outro entender. Se não tiverem este cuidado, esta ação pode colocar toda a comunicação do casal a perder.

Para que neste aspecto a sua relação dê certo, preste bem atenção a essa dica Que lhe darei, uma dica incrível, usada até em terapias de casais como forma prática, e este segredo vai fazer diferença em sua relação a dois assim como já fez a inúmeros casais que me procuram para melhorar o relacionamento e também as questões sexuais nas consultorias que realizo.

1 – Seu cônjuge, não é você mesmo!

Descarte a maneira como você gostaria que o outro agisse com você, (porque é exatamente isto que gera conflito no convívio a dois). Procure agir e tratar seu cônjuge, como ele gostaria de ser tratado. Isso sim dá certo. Você é você, e o (a) seu (sua) parceiro (a) é seu (sua) parceiro (a), ambos diferentes óbvio, então o porquê de insistir em agir da maneira como você pensa, sem levar em consideração como seu (sua) parceiro (a) gosta? Atitudes assim de interesse próprio não combinam dentro de uma relação afetiva, acarreta logo uma confusão maior do que você espera, por trazer egoísmo em pensar somente em seu posicionamento. E não altruísmo.

Saiba que a maioria dos casais passam por este incômodo quando não aprendem a lidar um com o outro diversas vezes e quando não se interessam em saber quais as preferências um do outro. Você quer ver como esta afirmação é interessante?

2 – Agradar, eis aí a questão!

O interesse em agradar e em saber as preferências do outro é exatamente o que temos no início do namoro, por isso no começo tudo são flores. No início você se importa com uma mínima palavra que irá dizer ao outro, quem dirá como o outro irá interpretar o que você quis dizer.
Geralmente o que vemos no convívio dos casais a longo prazo, é um grande erro! Cada um acha que comunica de forma certa, e que o problema está no outro, é sempre o outro que sofre da incapacidade de entendê-lo.

Entenda, isso é um desafio a ser solucionado com cumplicidade e dedicação, dar atenção para o outro, e não só atenção, mas sim aprender com os sinais que o outro dá. Percepção. Por este motivo não jogue fora o aprendizado que cada situação difícil trás a vocês. Se erram sempre, o que é gerado pela vivência de cada um, é alimentado, num ciclo sem fim, pelas suas interpretações negativas e o “auto sabotador interno” de cada parceiro.

3 – Então, como sair deste círculo?

Enfrentando-se.
Assuma suas responsabilidades. Assuma seus equívocos, assuma seus erros, aceite que precisam de mudança e adaptação, tratando da dor e da culpa que esse movimento transformador de conviver acarreta, e aceitando que o outro age de forma diferente de você… Agarre as intenções positivas do seu cônjuge, preste atenção aos sentimentos do seu par e sobretudo, você é também merecedora de ser amada e valorizada, porém valorize-se!

Para concluir, nós seres humanos precisamos ter um entendimento amplo para abrir mais janelas de codificações em nossa mente, para compreender e aceitar que o outro que se relaciona com você é totalmente diferente de você, e se, o seu objetivo ao relacionar-se com alguém afetivamente, emocionalmente e sexualmente é ter um relacionamento duradouro e saudável, você “deve” atualizar e aprender a lidar com seu estado emocional e descodificar as intenções do (a) seu (sua) parceiro (a).

Se você não conseguir praticar este exercício diariamente, pode criar-se um estado de stress e desmotivação com alto impacto na saúde física e mental de ambos.

É necessário o casal trabalhar em conjunto, mas evoluindo consigo mesmo. Permita-se transformar para atingirem uma harmonia e leveza na relação no qual o “vocabulário emocional” de ambos fale a mesma língua, não adianta você fugir, e pensar só em você, só na adequação do outro a você. Não adianta você pensar e afirmar que você é assim, imutável, pois você não é! Estamos nesta vida para aprender o tempo todo e ninguém nasceu sabendo, então não cultive a inércia de aprendizado, se você cultivar, você certamente estará auto sabotando-se.

Espero que este texto tenha dado um direcionamento e auxiliado você em algum momento da sua vida a dois, pois desafios? Todos nós iremos enfrentar! E eu quero além de ajudar você, ver o seu desenvolvimento e o seu posicionamento perante os seus desafios! Você consegue! Vamos lá?

Conte-me sua experiência!

Beijos da Karoll Chamone =)

Leave a Reply