Prazer e saúde, quer saber mais?

By 27 de outubro de 2017Karoll Chamone

O prazer deve ser visto como parte da nossa saúde e do nosso bem-estar, você sabia disso?! Pois é, mas ainda em nossos dias o tabu é tão grande que muitos têm receio de falar sobre isso, e até mesmo de pesquisar sobre o prazer em detalhes.

Penso que isso está mudando aos poucos, felizmente está mudando, e as pessoas estão mais dispostas a se abrirem e a explorarem o assunto.

Mas referente a este assunto, muitas pessoas tendem a não compartilhar as descobertas quando se trata de informação e sexualidade, e quando compartilham com o parceiro, na maioria das vezes o fazem de maneira insossa, sem graça?! Aí me pergunto, porque não ousar um pouco e relaxar com seu amado se aventurando em dar prazer e receber prazer?
Vamos lá, negocie com o seu cônjuge o prazer entre os lençóis, porque não?!
Você verá com certeza que até a frequência de suas relações sexuais vai aumentar! Fica a dica.

Em geral, tanto os homens quanto as mulheres sentem que os seus (as) parceiros (as) se acomodaram depois de um tempo, e muitos deles gostariam que fossem mais ousados e tivessem iniciativa de começar o sexo. Os homens falam da frequência, em sua maioria eles querem mais vezes, já as mulheres dizem que acontece sempre do mesmo jeito e no mesmo cenário. Elas cobram mais preliminares e criatividade dos companheiros.

As mulheres têm dificuldade de comentar ou pedir coisas ligadas ao sexo. É uma pena, mas algo cultural, nossa sociedade não traz à tona com naturalidade as conversas sobre sexualidade apesar da revolução sexual que vivemos hoje ser recente, mas muitas não receberam educação nesse sentido nem aprenderam a legitimar a própria autonomia.

Os casais procuram a terapia porque algo pode ir mal e querem retomar a relação afetiva a comunicação entre eles não está fluida. Mas a coisa tem que estar realmente feia, ou seja, se eles não estão satisfeitos, já não conseguem se entender e procuram caminhos diferentes para sair disso. Muito difícil um casal saber resolver seus conflitos de forma saudável, em busca de soluções.

Dialogo, faz toda a diferença na qualidade da vida sexual e, por consequência, do casal como um todo. É preciso falar para ele tudo sobre você, principalmente na questão sexual, como você gosta de ser tocada, se teve ou não orgasmo… Uma coisa é você se tocar e usar os recursos que gosta, outra é mostrar isso ao parceiro. Como realizar o toque em vc… Cada um tem um corpo e uma energia sexual. O outro não tem como descobrir se você não comunicar de alguma forma, não negociar o seu desejo e o seu prazer.

O homem não tem que fazer tudo sozinho, inclusive adivinhar o que está na sua cabeça. Não tem mais “papel do homem” e “papel da mulher”. Surpreenda, peça para passar a noite fora, comente uma cena excitante de um filme, pergunte o que ele acha de testarem juntos um acessório interessante que você viu numa loja.

Durante o sexo, existem jeitos sutis de mostrar do que você gosta.
Quando ele estiver tocando um ponto excitante para você, reforce o comportamento. Pode ser com um “ai, que delícia” ou mesmo gemendo. Eles ADORAM gemidos. Dê ao seu parceiro esse poder de saber que ele está fazendo certo.

Vocês podem estar numa fase atribulada fazendo sexo apenas poucas vezes, ou mesmo em certos casos tensos, uma vez por mês. Mas se o sexo é ótimo, ele reforça a intimidade e revigora o relacionamento, tanto que até gostariam de ter mais.
Se sentir desejado é muito importante para manter o próprio desejo. Se o parceiro se esforça para agradar, elogia, arruma tempo na agenda para os momentos a dois, ele está fazendo o correto, porque temos que ter dedicação com o que é importante pra nós!

Por vários motivos: se você se habitua ao outro, se ele está sempre disponível, outras coisas vão preenchendo a vida do casal, como os filhos, a vida familiar, a vida profissional, cuidado, isso te faz cair na rotina, o que não faz bem nenhum para a vida do casal entre os lençóis, pois o desejo sexual precisa de criatividade e espaço para florescer. Nossa casa não é um lugar criativo, mas de compromisso familiar.

Cair nessa armadilha é uma tendência, por isso o casal deve alimentar o erotismo – ou terão cada vez menos sexo até desistirem de se procurarem. É um preconceito achar que o sexo deva acontecer sempre de forma tão espontânea. Você precisa reservar espaço para que ele aconteça e isso não significa que ele será “artificial”.

Por muito tempo, nos deparamos com o tabu com o clitóris, hoje este tabu vem sendo desmistificado e cada dia vem ganhando espaço porque o clitóris é o único órgão cuja função exclusiva é proporcionar prazer a mulher.
Imagine que o gosto pela masturbação feminina chegou a ser considerada pela medicina como uma doença que poderia causar cegueira e até morte prematura, acreditam?!
Em 1865, culparam o clitóris por crises de histeria, epilepsia e outras loucuras. O tratamento proposto foi terrível – extirpar o órgão dessas pacientes. Inacreditável essa loucura! Por isso em todos meus atendimentos, ou em palestras eu sempre recomendo que a gente corrija esse erro absurdo tendo intimidade com as nossas próprias vaginas, por favor!

Espero que este texto te ajude a vivenciar o sexo diferente do que você minha querida está acostumada a vivenciar… Vamos dar voz ao nosso corpo e nos empoderarmos em busca do prazer e da satisfação, cuidado da nossa saúde e conhecendo mais o nosso corpo! Assim a vida será vivida intensamente e será bem mais bonita para todas que continuarem a lutar para saírem da repressão que a sociedade ainda impõe.

Beijos da Karoll Chamone

Leave a Reply