Sexo, é mesmo o segredo para um bom relacionamento?

By 14 de julho de 2017Karoll Chamone
Você sabe o que é bom para a relação a dois?

Você sabia que a frequência sexual está diretamente associada ao diálogo e a troca de afeto entre o casal? Tudo isso contribui para uma relação saudável.


Quando o assunto é sexo, todo mundo parece querer dar uma espiadinha e saber sobre o assunto, quando falamos sobre a prática e a frequência sexual, muitos se escondem, mas não por muito tempo, pois saber o que variadas pesquisas dizem sobre a frequência da maioria é sempre bom pra auto avaliar-se.
Porém a prática da boa relação sexual ou não só sexual dos casais – mesmo os recentes, com filhos ou casados há muito tempo – depende muito do tipo de relação que cada casal nutre, mas uma afirmação é certa, os casais que sentem e demonstram mais afeto e mais intimidade entre eles, tem sim uma frequência sexual maior do que os que não são assim tão envolvidos.

Numa relação a dois as demonstrações de afeto interferem muito no cotidiano do casal, tanto emocionalmente quanto no bem-estar de ambos a longo prazo. Para demonstrar afeto ao outro não há necessidade de ser aquele casal chiclete, e sim aquele casal interessado com o outro, porém os detalhes da comunicação, a maneira como vocês se entendem e o tratamento diário que dão a vocês mesmos, a depender da gentileza e interesse que evidenciam, fazem grande diferença no cotidiano para ambos se sentirem amparados e auxiliados pelo cônjuge sem excessos que prejudicam o desenvolver de cada um como pessoa.

O diálogo é a porta de entrada para uma relação saudável em todos os aspectos, a comunicação interfere desde o entendimento dentro do acordo de vontades no dia a dia, até a provável perda de sintonia na cama, ou seja, se o casal não se entende fora da cama, se há dificuldade de comunicarem-se com questões que muitas vezes nem geraria conflito algum, dificilmente a conexão estará boa na cama.

Para cuidar da saúde emocional no relacionamento mantendo-a equilibrada, o casal além de demonstrar afeto verbal e não verbal em sua convivência, tem de nutrir o respeito e a individualidade de cada um mantendo as atividades que já desenvolvem individualmente, sem deixarem de entrar em acordo para instituirem novas atividades onde façam ou estejam juntos. Essa é a maneira mais didática de construir a verdadeira harmonia e convivência a dois, quando se compartilha os momentos com o (a) parceiro (a).

Quando compartilhamos nossa vida com alguém que estamos estabelecendo um vínculo, este ato auxilia na construção das bases para uma relação duradoura ou não, e a confiança um com o outro pode ser adquirida exatamente assim pois há o envolvimento de ambos, por isso dizemos que as bases de uma relação podem ser construídas e moldadas durante o envolvimento e convívio a dois.

O casal precisa ter interesses em comum, ambos precisam sonhar juntos, estabelecerem as metas e os objetivos para nutrirem a conexão com o outro, pois esta conexão é o combustível e o incentivo para realizarem inúmeras conquistas que os levam a uma relação estável e satisfatória. Além disso quanto maior a demonstração de afeto durante o ato sexual, melhor e mais duradoura será a relação fora da cama, no cotidiano, mesmo depois de seis meses.

O sexo faz você se sentir bem, muito bem, não só porque libera endorfinas, ocitocina e mais hormônios e hormônios, mas também porque você se torna mais afetivo, mais ligado a quem te quer ver feliz e faz por onde causar-lhe felicidade, seja mulher ou homem
manter uma vida sexual ativa é importante para um bom relacionamento. “Quanto mais sexo tiveram, em geral, mais afeto e mais desejo sexual, e o contrário é ainda mais certo e prejudicial a relação amorosa, quanto menos sexo, menos afeto e consequentemente menos libido e desejo sexual”.

Você precisa entender o que existe na convivência entre vocês que está atrapalhando o prazer entre os lençóis. O que ele quer de você, o que você também espera dele fora da relação sexual,  mas que irá influenciar diretamente nela.

O sexo precisa ser mantido e reabastecido, pois sem essa troca, somos apenas amigos. O sexo é o que diferencia as relações interpessoais das relações amorosas, mas não podemos fazê-lo somente por obrigação, tem de haver interesse e troca, o casal tem de interagir de forma a entender qual a importância do sexo e o que ele significa dentro do relacionamento. Há outras maneiras de suprir o que o parceiro deseja, como o carinho, o afeto, o apoio, mas a ligação sexual que o casal tem, também está interligado ao bem estar, apoio e proteção dentro do lar.

Que tipo de sexo você oferece ao seu cônjuge? Quando estão juntos ali, estão de corpo e mente presentes?

Essa troca que chega à cama, vem acompanhada de intensidade e requisitos diários de convivência para manter boa conexão entre vocês?

O que você o que acha disto tudo? Conte-nos sua experiência e participe aqui, a sua participação é valiosa para mim, vamos trocar experiências? Como você se sente em relação a sua vida sexual? Pode ser melhor?

Beijinhos da Karoll Chamone

2 Comments

  • RITA APARECIDA FERNANDES TOREZANI disse:

    Excelente texto Karol!

    Casada há quase 35 anos posso garantir que sem o afeto, o carinho, o respeito aos interesses individuais, o envolvimento com os sonhos e projetos do outro são fatores determinantes para uma vida sexual plena e saudável.

    Importante o casal perceber que muitas vezes precisa buscar ajuda com profissionais competentes para ajudar a restabelecer a conexão que pode ser interrompida por influência de vários fatores e da própria rotina.

    Parabéns por sua abordagem!!

    Rita Torezani
    Life Coach

    • triade disse:

      Rita, obrigada pela troca de experiências, minha querida!
      Sim, para se ter uma vida sexualmente satisfatória e plena, há um conjunto de fatores determinantes que vão ajudar ou atrapalhar na convivência íntima do casal; as suas palavras e o seu ponto de vista está corretíssimo.
      Agora fica a nós a indagação, porque é de extrema importância o casal buscar auxílio com profissionais capacitados?

      Porque a quebra da conexão íntima pode ocorrer por variados motivos dentro da rotina do casal, e muitos deles inerentes mesmo, até a nossa própria vontade não é mesmo?

      Aí nos deparamos com a dificuldade da pessoa em reconhecer que precisa de ajuda e se movimentar para buscar esta ajuda o quanto antes.

      Ainda precisamos disseminar que a busca do auxílio, a procura da resolução; isso também inclui a identificação do casal com o profissional, e esta tomada de decisão, ou seja, quando o casal dá o primeiro passo… Tudo pode acontecer! Maravilhas podem acontecer!

      Por isso eu mesma em minhas consultorias, avalio cada detalhe e especificamente cada parte pensante da relação a dois para realizar um trabalho com excelência e positividade. Contando é claro, com o desejo de buscar auxílio e o querer de cada cliente que vem até mim, sendo crucial ao avaliar o caso, que os cônjuges tenham vontade de permanecer e melhorar o relacionamento em que vivem.

      Parabéns pelos 35 anos de casamento!
      Cultivem cada vez mais o amor e união entre vocês… Sucesso!

      Beijo
      Karoll Chamone
      Sexóloga
      Consultora em saúde e educação sexual.

Leave a Reply